segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Autotranscendência e o flylady



Renato Russo dizia, com propriedade, em uma das suas canções que temos nosso próprio tempo - uma verdade tão forte em nossas vidas. Apesar do período medido em relógio, cada pessoa tem um momento próprio para entender situações, para aprender e até para crescer. O desafio é respeitar o prazo de cada um e o seu próprio tempo.

Às vezes queremos tanto algo e nos angustiamos por não conseguir, chegamos até a ficar ansiosos. Que qualidade de vida é essa de existir em meio a angustia e a ansiedade? Nós somos seres em constante construção, estamos aqui para evoluir e precisamos seguir um caminho para isso.

Nem todo mundo descobre sua missão de vida aos 15 anos, aliás, feliz é quem descobre cedo. Para a maioria de nós, mortais, o caminho tende a ser um pouco mais longo e até tortuoso, o que é muito bom. Esse trajeto cheio de desafios é o que realmente dá a bagagem para uma vida extraordinária.

Seus sonhos, planos, metas, desejos... cada uma destas realizações te levam a viver na plenitude que todos desejamos. Mas, é importante lembrar que o caminho existe e que só conseguiremos imergir nessa excelência quando decidirmos seguir essa estrada de cabeça erguida, olhando tudo ao nosso redor, contemplando cada beleza, se fortalecendo em cada dificuldade e valorizando cada passo dado.

O caminho da verdade*. Este foi o rumo tomado pelo cavaleiro mais corajoso do reino, quando viu que precisava se desvencilhar da armadura para se encontrar e para ser feliz sendo quem era e não o que era. Dilema, floresta, caminho, castelos... muitos foram os itinerários seguidos pelo cavaleiro para descobrir quem era e, assim, chegar ao começo.

Para encontrar a excelência na vida, o cavaleiro seguiu cada rota, enfrentou cada percalço e aprendeu. Muitas foram as assimilações entendidas durante o caminho até chegar a principal percepção de tudo: a descoberta de quem ele realmente era fora daquela armadura. Conhece-te a ti mesmo, filosofou Sócrates. A melhor descoberta que uma pessoa pode ter é sobre ela mesma. Autotranscedência, como definiu o filósofo.

O meu caminho foi bem parecido com o do cavaleiro. Enfrentar as singularidades da vida, reconhecer as situações (um desafio que muitas vezes volto a encarar), facear dragões e vencê-los. Esse foi o meu percurso, um trajeto feito no tempo certo, no momento em que consegui entender muitas situações e resignificar muitas lembranças e entendimentos. Uma viagem que volto a fazer com frequência e cada vez fico mais consciente da rota, e mais forte.

Um dos mapas que uso para seguir nessa diretriz, é o sistema flylady - que nesta semana está no Zona 4, o quarto principal. O método  auxilia na organização da casa e quando a casa está arrumada tudo flui melhor, não é? Do mesmo modo acontece em sua casa interior, seu corpo - alma e espírito. Quando as nossas emoções estão equilibradas, tudo flui melhor. Então vamos, juntos, cuidar da nossa casa.


Todos os dias divulgo nas redes sociais uma missão específica a ser feita, proposta pelo sistema. Uma única tarefa diária, que nos auxilia na busca desta vida extraordinária. Para acompanhá-las, siga o Conexão Flávia no Facebook e no Instagram.



* livro: O Cavaleiro Preso na Armadura, de Robert Fisher



2 comentários:

  1. Arrasou Flavinha. Ótimo texto! Parabéns! Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nina, gratidão. Amo quando vem aqui. Vc mora no meu coração, sabe disso, né?

      Excluir

Seu comentário é super importante para mim. Conto com você me dizendo o que achou desta postagem. Gratidão.