quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

A Viagem

Hoje é quarta-feira, dia de quê???? De pegar um cineminha. Ah, que saudade tenho da época que ia TODA quarta-feira ao cinema. Praticamente por dois anos esse era o programa que eu e marido fazíamos neste dia da semana. Às vezes estávamos tão cansados (saíamos praticamente todos os dias depois do trabalho), que cochilávamos durante o filme - um pecado uma cinéfila de plantão fazer isso. Mas confesso que teve um filme que dormi quase que inteiro (e ele era enorme, tipo umas três horas de película).
A dica que vou deixar aqui é de um filminho que curti esses dias com o meu amor, tão bom que seria impossível dormir durante a exibição. O filme chama-se A VIAGEM.  Como o nome sugere, é muito louco. Mas muito louco no bom sentido, porque conta seis histórias distintas que se passam em épocas diferentes, mas que de alguma forma estão interligadas.


Para simplificar, poderia dizer que esse é um filme espírita, que mostra vidas passadas, carma e reencarnação. Mas resumir assim seria pequeno demais para um filme tão grande.
Vamos começar do começo: Cloud Atlas, título original, é um filme estrelado por uma constelação hollywoodiana, mas também com excelentes atores ingleses. Tom Hanks, Susan Sharandon, Hugh Grant, Halle Berrry são alguns dos grandes nomes que podem ser vistos em ação e não apenas uma vez, mas cada um deles interpreta vários personagens. Halle Berry, por exemplo, interpreta seis personagens.
A real é que todos os atores aparecem nas seis histórias, mas nem sempre são reconhecidos por causa da impressionante maquiagem (veja na imagem ao lado). Além da maquiagem, outra coisa que me chamou a atenção é a fotografia, lindíssima. Mas, mais que tudo isso, são as sutilezas de cada história que marcam. Por isso, logo afirmo que esse não é um filme para ser visto apenas uma vez. Quando termina vc logo pensa: preciso assistir de novo.

Parece um pouco confuso, especialmente para os que estão exclusivamente atrás de entretenimento barato. De barato esse filme não tem nada. Além do lado espiritual, esse filme tem muito de ciência, física e filosofia. Com certa frequência mostra a lei da ação e reação, mas numa visão espiritual, em que uma ação de hoje pode refletir na sua vida futura. 


Durante as quase três horas de filme, as muitas histórias se misturam, vão e vem de forma quase alucinante. É preciso estar atento para não se perder. Não é um filme cult, mas também não é um filme meramente comercial. É uma história que merece ser revista, estudada e  refletida.
 

De verdade, acredito que tenha muito mais nela do que meus olhos e minha mente conseguiram acompanhar. Creio que tem detalhes escondidos que enriquecem ainda mais a produção. Por isso quero rever. Quero rever também para observar com um olhar mais atento os personagens. Quando o filme terminada, o letreiro orienta: CALMA, NÃO SE LEVANTE AINDA. SAIBA QUEM É QUEM. E mostra o papel que cada ator fez em cada história. Fiquei chocada, porque definitivamente não vi muitos atores em muitas histórias por causa da transformação que foi feita. Apesar da imagem ao lado só mostrar quatro, Hugo Weaving, por exemplo,  trabalhou pra caramba. Ele foi responsável por dar vida (e até a morte) seis personagens.

E como bem sugere o cartaz do filme no Brasil: TUDO ESTÁ CONECTADO.


Veja aqui um trailer do filme, quem sabe te aguça a ir assistir também


Ainda não tem convenci? Ajuda se eu falar que tem atores lindíssimos no filme??? Veja:


Ben Whishaw

James D'Arcy

Jim Sturgess

David Gyasi

E, claro, o meu cafajeste preferido: Hugh Grant


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é super importante para mim. Conto com você me dizendo o que achou desta postagem. Gratidão.